3 jul. 2014

[Uruguay] Manifesto da concentraçom pelo fechamento do zoológico

Voltamos a tratar em Abordaxe este tema que, ainda que acontece no Uruguay, é um assunto que transcende a qualquer lugar do mundo donde os animais som encirrados em gaiolas para exibi-los como peças de colecçom da barbárie humana, quando despojados dos seus lugares som monstrados como especímenes raros e/ou exóticos, em troques de suculentos negócios. Agora vimos de receber a través da ANA o Manifesto distribuído durante a concentraçom realizada no centro de Montevideo, em 25 de junho passado, pelo fechamento do zoológico Villa Dolores, que colamos:

A liberdade tem seus inimigos

Inimigos som a indiferença, ficar calado, olhar para outro lado quando sabemos que algo está acontecendo. Inimigo da liberdade é a mentalidade que entende a vida como mercadoria, como algo que se vende e se compra. Inimigas da liberdade som as ideias que nos colocam de que somos o centro de tudo, nom somos o centro de nada e a natureza nom nos pertence, somos parte dela e ela é parte de nós.

A liberdade tem seus inimigos e alguns têm nomes e sobrenomes, Eduardo Tavares, diretor do zoológico, Héctor Guido, diretor do departamento de Cultura e Ana Oliveira, intendente de Montevideo, som só alguns dos que perpetuam a prisom. Som os que com umha assinatura aprovam translados de um lado do planeta a outro, som os que ponhem preço à vida, som os que a catalogam e a classificam como se fossem objectos.

Umha coisa é clara e fazemos especial questom nisto, o silêncio também é inimigo e um dos mais perigosos, porque se nom dizemos nada, porque se nom fazemos nada nós também nos tornamos responsáveis.

A liberdade tem seus inimigos e por isso nos encontramos hoje neste lugar, é aqui onde tomam as decisons, decisons sobre as vidas de outros, decisons que modificam as vidas de outros.

Os inimigos da liberdade nom descansam e nos tratam como estúpidos. Pensam que enfeitando a escravitude vam solucionar algo. O problema nom será solucionado com jaulas maiores nem com melhores condiçons, o problema é o zoológico. A luta nom é para reformar a prisom, a luta é pela liberdade.

Fagamos que o zoológico tenha os dias contados, potencializemos as mobilizaçons, os protestos e as acçons em geral. Só assim os animais serám livres, só assim as grades se abrirám e cairám os muros.

Coordenação contra o zoológico

Mais infos e fotos

2 comentarios:

  1. Na publicación Cimarrón, do territorio arxentino, lin o outro día algo referente a isto.
    Deixo aquí o pdf. A páxina relacionada é a 9, pero xa que estades, botádelle unha ollada a todo ;)

    http://es.contrainfo.espiv.net/files/2014/06/2.pdf

    ResponderEliminar
  2. Muito interesante a publicaçom tuda. Notanto a informaçom á que apontas (pag 9) já fora publicada nestoutra entrada de Abordaxe:

    http://abordaxerevista.blogspot.com.es/2014/03/uruguai-iniciativa-e-accons-este-ano.html

    ResponderEliminar