9 jul. 2014

[França] Solidariedade com o preso anarquista Damien Camelio

Damien Camelio está a sofrer um trato degradante no cárcere em Mont de Marsan, e em solidariedade com ele pede-se que se lhe escreva (entende castelhano).

Damien fora detido no último mês de fevereiro em Tarbes (França) junto ao vasco Abaier González. Foi-lhes aplicada a lei antiterrorista ao ser acusados de formar parte do GADI (Grupos de Acçom Direita Internacional) e de serem os responsáveis de vários atentados levados a cabo em Tarbes contra um edifício da brigada paraquedista do exército francês com napalm e fosfato; contra a prisom de Tarbes com artefactos incendiários e um explosivo (se bem este nom funcionou) e em solidariedade com o chamado internacional pelxs 5 de Barcelona ( 2 delxs, Mónica e Francisco, ainda em prissom preventiva sem juízo) e também outro ataque incendiário contra a igreja da Ciência Cristiana de Pau onde se juntam e usam como base membros destacados da Frente Nacional.

Damien (tal como já contaramos em Abordaxe) nom negou a sua participaçom nos ataques incendiários e mesmo vindicou os ataques de jeito individual, exculpando assim a Abaier González dos mesmos.

Agora vimos de saber por ANA, que diversos grupos anarquistas denunciaram publicamente as duras condiçons nas quais se encontra Damien. Para começar, som-lhe retidas as publicaçons legais que assinou e numerosos livros que lhe foram enviados. Também se lhe estám negando todas as suas solicitaçons, tanto de acesso aos ginásios como para a realizaçom de estudos ou como aceder a um regime aberto.

Damien Camelio, a quem considerm preso político é o único com essa "distinçom" nessa prisom e isto fai que as suas condiçons de detençom sejam ainda mais difíceis. Em maio passado, depois que a administraçom da prisom abrira “por engano” umha carta confidencial dum seu advogado, já sofrera 6 noites seguidas de privaçom do sono: lanternas, alarmes, o ruído incessante... Em seu informe de 19 de abril de 2012, o Comitê Europeu para a Prevençom da Tortura (CPT) denunciou a práctica de controlar a certos detidos por despertar-se várias vezes a noite devido às “consequências adversas para a saúde dos presos”. Da mesma maneira, por ordem de 18 de abril de 2014, o juiz do tribunal administrativo de Limoges ordenou a suspensom do sistema de vigilância à noite que foi imposto desde junho de 2013.

A penitenciária de Mont de Marsan, inaugurada em novembro de 2008, é umha destas novas cadeias onde a tecnologia desumanizante e as condiçons de segurança condicionam o detido como um simples objecto, geram violência e dramas humanos. Em sua última carta, Damien Camelio ressalta especialmente que “as alas probatórias som conhecidas por ser o pior. Todo mundo quer sair fora destas alas, garotos preferem inclusive isolamento. Todos os que foram mortos ou quase morreram, ficaram nessas alas. Um rapaz de 19 anos morreu aqui há pouco - é o quinto em dois meses. Vi um cara arrancado as suas veias, porque nom podia suportar o tratamento que sofreu. Houve outro homem que cortou o seu próprio dedo com umha faca e que arrancou os dentes para enviar ao fiscal para que fosse transferido".

Para apoiar Damien, podedes escrever-lhe (entende castelhano):

Damien CAMELIO n° 5057
Centre de détention de Mont de Marsan
Chemin de Pémégnan
BP 90629
40006 MONT DE MARSAN CEDEX - França

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada