28 may. 2014

Glória Lago nom descansa e namora de um independentista no juízo

Colado de GalizaLivre: A.V/ Pode parecer umha nova-brincadeira. Só em parte. A entidade estudantil Agir vem de fazer público que Galicia Bilingue denunciou perante o IES Breamo de Pontedeume o fato de alunado desse centro se solidarizar com as pessoas processadas no juízo contra activistas pró-língua galega. Polos vistos a direcçom teria atendido a petiçom da entidade espanholista e tem aberta umha investigaçom. Mais um episódio de perseguiçom e assinalamento da direita neocon na Galiza.

Hai poucos dias publicávamos umha pequena reportagem em que lembrávamos qual era o estilo próprio de Galicia Bilingue e da sua presidenta. Hoje, com este novo caso, podemos avalar a hipótese de que a entidade funciona como grupo de choque de extrema-direita, assinalando militantes e entidades e exigindo publicamente a perseguiçom ideológica.

Qual é o verdadeiro trabalho de Galicia Bilingue?

A entidade apresenta-se como valedora do espanhol na Galiza, mas na verdade, que é o que pretende? Recentemente assinalou publicamente a responsável da equipa de normalizaçom linguistica do conservatório de música de Compostela, exigindo o seu cessamento. Agora, exige que a docência do IES Breamo de Pontedeume persiga o seu alunado e o censure. Onde está o limite para estas pessoas? A solidariedade e a perseguiçom dela é também parte do trabalho da entidade? Entom, funcionam como um grupo paramilitar ou é propriamente a polícia?

Glória Lago namora de Teto

No blogue pessoal da dirigente da organizaçom espanholista queixa-se de ter que participar como testigo no juízo, mas só em parte. Na realidade reconhece ter sorte por ter conhecido a Teto, o qual nunca vira antes, e parez ter-se arrependido disso. No meio de um texto de estilo típico de Gloria Lago, com o seu tom despetivo sobre os “fanáticos”, “tontos”, “intolerantes”, “talibáns” e outras lindezas, a dirigente da organizaçom supremacista desliza um parágrafo onda dá conta de umha espécie de flechaço que sentiu ao ver a Teto, “un chico muy guapo” do que a assombram as suas “facciones distinguidas”.

Turbada por esse inesperado namoramento, Gloria fica prendada da olhada de Teto, “una mirada extraña, mezcla de hielo y calor”. Maternalmente preocupada pola sorte do nosso companheiro chega a fantasear com um Teto a quem nom tivesse a obrigaçom de odiar: “Me pregunté cómo habría sido su vida si no se hubiera cruzado com quienes sembraron en él la semilla del odio”. Pode parecer pouca cousa, mas essa maneira de “exculpar” Teto indica umha vontade inconsciente de perdoá-lo... Loucuras de amor, vamos. Ao final a infame de Gloria Lago também tem o seu coraçonzinho...

[Obviamente a última parte do artigo é humorística. Pedimos desculpas a Teto por ter que fazer parte deste escándalo, mas nom se pode desperdiciar a ocasiom de fazer escárnio de Gloria Lago]

3 comentarios:

  1. O institito está en Pontedeume non Pontevedra.

    ResponderEliminar
  2. Corregido; e obrigadas!

    No nosso descargo, o erro vem de colar tal qual da fonte (de feito depois ponhem-no bem).

    ResponderEliminar
  3. ¡GILIPOLLAS SOIS! (en tono humorístico)

    ResponderEliminar