4 mar. 2014

Danem-se os torturadores! x Tita Ferreira

Colamos este post da web de Tita Ferreira -Leituras-:

Nom há Estado democrático de direito sem miséria e tortura. Nom há banalizaçom da tortura, pois todo saber jurídico penal exige a tortura para obtençom da verdade que lhe interessa.

Tudo o que se convencionou chamar de crime é político. Nom há distinçom entre o comum e o político: ambos expressam a realidade do regime da propriedade que, às vezes, é atingida nos seus poderes privado e público, e outras no corpo do próprio indivíduo, seja ele adulto, jovem ou criança.

Toda subversom é insuportável ao Estado. Toda subversom incita a liberdade e expom assimetrias. Quando um povo está sob regime ditatorial, a subversom é a derradeira expressom de sua saúde.

No regime democrático de direito, os acomodados cidadáns preferem nom ver, ouvir e falar sobre as torturas diárias que acontecem em prisons, comissarias, ruas, favelas, lares bem constituídos, escolas...

Querem fazer crer que com o fim das prisons políticas, só restaram torturadores em arquivos processuais ou na memória sempre viva de guerreiros da liberdade! O torturador é o vestígio impagável do fascismo. Este, por vezes, toma a forma de governo de Estado, e, na maioria das vezes, em conducta democrática dissimulada.

A noçom de crime, a polícia, o tribunal e todo o aparato penal alimentam a continuidade dos dissimulados. Sustentam a necessidade da polícia, do tribunal e de todo aparato penal, azeitado pela tortura. Instaura-se um círculo vicioso em que todos devem acreditar, finalmente, no tribunal nacional e internacional.

Acreditam que pela puniçom se forjam valores universais de humanidade; que se corrigem as torturas pelas puniçons legais; e que, se necessário for, façam uso da pena de morte em nome do Estado democrático de direito e pelo bem da humanidade.

Todavia, antes de julgar um torturador, ou condenar sua impunidade —propriedades dos aplicadores de castigos — precisamos saber seus nomes e estampá-los pelas ruas, nas casas de famílias, nas escolas... Divulgar quanto ganharam e ganham, onde estám, do que vivem, com quem se relacionam...

A tortura, assim como a puniçom, nom é um instituto jurídico, mas um dispositivo das tecnologias de poder.

DANEM-SE OS TORTURADORES!
E que sejam sempre bem-vindos os subversivos, em qualquer regime. Deles sempre dependerám novas experimentaçons de liberdade! Mas nom confundam subversom pela liberdade com terrorismo fundamentalista!

Abaixo qualquer terror de Estado e os torturadores! Nom nos esqueçamos que a democracia moderna nasceu com o terror!

A democracia é também o regime propício a ampliar liberdades e dar um fim ao regime da propriedade.

SAÚDE!

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada