21 feb. 2014

[Grécia] Nova brutalidade policial contra manifestantes antimina de ouro

Contavamos na antérior notícia de Grécia que colamos hoje mesmo que "se trata de sucessos acaecidos na Grécia, mais que, como todas sabemos, também acontecem nestes lares (só haveria que mudar os nomes e pouco mais)"; e esta nova notícia confirma-nos o que digemos: A repressom nom é coisa de triângulos, senom de "polígonos" (de tiro?). Colamos de ANA esta notícia que traduziram de VerbaVolant:


Na quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014, na localidade de Megali Panaguiá, ao noroeste de Calcídica, realizou-se umha manifestaçom de protesto contra a instalaçom dumha minaria de ouro em Skuriés, a pouca distância da localidade. Concretamente, os/as manifestantes, que em sua grande maioria eram mulheres, bloquearam o caminho até o lugar em que o Estado grego e o Capital transnacional pretendem instalar a mineira, para impedir o translado ilegal de contêineres a este lugar.

Em seguida a unidade antidistúrbios da Polícia grega atirou contra os/as manifestantes que estavam sentados/as no cham. Os mercenários das forças armadas do Regime se puseram a arrastar, pegar e insultar aos/as manifestantes, dizendo às mulheres que atirariam contra elas ainda que fossem suas nais... Chegaram a golpear inclusive a umha pessoa com insuficiência cardíaca e outros graves problemas de saúde, ainda que um familiar seu tenha informado de seu estado de saúde. Durante mais de meia hora, esta pessoa esteve tombada na rua, esperando que chegasse umha ambulância, apesar de que o centro de saúde mais próximo está a cinco quilômetros... Além dessa pessoa, duas mulheres ficaram feridas da surra que receberam. A Polícia deteve duas pessoas.

Esta nova brutalidade da Polícia em Calcídica vêm um dia depois de que o prefeito do município local, declarou que é possível que haja vítimas no caso em que nas próximas eleições municipais seja eleito um prefeito que se oponha às actividades mineiras.

Mais infos sobre a luta antimineradora dos habitantes de Calcídica, podes ler aqui.

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada