25 ene. 2014

Anarquistas??. Ao respeito da suposta vinculaçom anarquista dxs detidxs na última operaçom jurídico-policial

Passado já um tempo prudencial sem que as pessoas implicadas falasem das suas detençons, dos cárregos dos que som acusadas e/ou os motivos polos que o juíz determinou a sua libertaçom condiçonada, além destas palavras numha rede social dum dos detidos Xabi Omaña (sic): “na rua... certamente ... totalmente na rua ... despois de todalas desinformacions dos medios de desinformacion ... xa era dificil tirar para diante ... agora ... e ... practikamente imposivel ... facelo nas nossas cidades ... poukas alternativas deixan ... ou kedan ...”

E tudo elo tras ser vilipendiadas nos falsimedios com ampla profusom das suas facianas em retratos a toda cor nos jornais de grande tiragem e em todas as televisons públicas e privadas, com pontilheiro ímpeto em divulgar a sua filiaçom completa com ano e lugar de nascemento, nome e apelidos e lugares de residência, e mesmo aportando dados insignificativos tirados de redes sociais ou de páginas web de contactos e busca de trabalho (práctica cada vez mais habitual dos jornalistas dos falsimedios que auto-otorgam-se por tal insignificância, ao alcance de qualquer pessoa com mínimos conhecementos de navigaçom por internet, o tremendo título de “trabalho de investigaçom”), algumha, a jorna”lista” que travalha para EL País, mesmo metendo no seu artículo o típico-tópico “triángulo geográfico que forman Vigo, Pontevedra y Alcázar de San Juan” (? , Ponte-vedra ?? em troques de Lugo, se bem a ligaçom deste “triângulo” no artículo leva a um mapa google de Lugo ???); haveria que lembrarlhes a estas “listas” que se ganham assim o “jornal”, que qualquer tres pontos dum plano que nom estejam alinhados sempre formam um triângulo.

Assim pois, considero que é hora de desvirtuar tais “desinformaçons” e poder analisar despois que é o que poidam estar a buscar a polícia, a judicatura e os governos para servir-se das agências de desinformaçom para manipular e tildar de anarquistas ás tres detidas quando nom há dados que apontem a essas simpatias de, quanto menos, as dois galegas detidas.


Isso é a conclusom que tiro tras tentar saber quem som essas pessoas e porque foram tildadas por todos os falsimedios ao unísono de anarquistas com vinculaçom com as últimas detidas de Barcelona (Mónica Caballero e Francisco Solar, acusados de ponher um petardo na Basílica de El Pilar em Zaragoza) e por tanto de ser membros da FAI-FRI, ainda que nalgum panfletucho local mesmo consideram a Xabi Omaña (o detido em Lugo) de “membro activo de Resistência Galega” (??).

Tenho que reconhecer que até agora resultou inacessível saber algo ao respeito das simpatias políticas de Gabriel Rodríguez, o detido em Alcazar de San Juán (Ciudad Real); mesmo compas anarquistas dessa provincia desconhecem tais filias, e só soa-lhes algo o seu rostro e outro tanto podemos dizer de que é desconhecido para anarquistas asturianos consultados ao efeito. Em quanto á moça detida em Vigo, María del Carmen Otero, ninguém do espectro anarquista da comarca viguesa tem claro conhecemento de quem é neme de com quem anda.

Só de Xabier Omaña temos melhor informaçom e sabemos que tem acodido a algum acto dos que organizam as compas do Ateneo Libertario A Engranaxe e mesmo se lhe lembra como assistente à manifa anarquista do 1º de maio de 2013 organizada em Lugo, mas também é bem certo que se lhe considera mais cercano à gente do ámbeto comunista e com 15meros, sendo partícipe também de actos organizados por independentistas e/ou comunistas.

Mas o que melhor se sabe del é polo que el mesmo foi prévio protagonista nos falsimedios: ao formalizar duas greves de fome nas ruas, a primeira quando residia em Fuerteventura (Ilhas Canárias) como quando realizara, a finais do passado vrao, umha greve de fome na Praça Maior de Lugo na defensa do direito de todas as cidadás a um trabalho e umha vivenda dignas, portando umha bandeira galega estrelada (vinculada ao nacionalismo e o independentismo) e um cartom onde rezava a lenda: “Denantes mortos que escravos” que como sinala o compa do blogue “La Rebelión de las Palabras” é umha “cita do conhecido ilustrador, poeta e pensador do nacionalismo galego Alfonso Rodríguez Castelao, (…), o que nos leva a muitas a perguntar-nos cómo se come o seu suposto ideário (ou mesmo o vínculo) anarquista e insurreccionalista com alguém que porta vissivelmente e durante várias jornadas a pê de rua, umha bandeira nacionalista e umha ideologia que propom a criaçom dumha república socialista galega”. Além quando decidiu abandoar a sua greve foi solicitar ajuda aos servizos sociais do concelho (?)

E nom só iso, senom mesmo nas imagens “facilitidas” pola polícia no vídeo no que nos ensinam o registro da sua morada, os cartazes que se vissionam se relaçonam com um acto público dos 95 anos da “Asamblea Nazionalista de Lugo” organizada pola plataforma “Galiza pola Soberanía” e outro com umha moça e umha estrela vermelha de fundo (moi anarquistas ambos); além dumha camisola “seriagrafiada” com as palavras “Presoak Askatu” e os símbolos antifa e a fouce e o martelo (este último também moi anarquista).

Assim até aquí nom semelha que poidera haver ligaçom algumha de Xabi com o anarquismo, mais alá da sua participaçom na manifa do 1º de maio e nalgumha actividade do Ateneo “A Engranaxe” de Lugo, cousa nada estranha tendo em conta a sua residência habitual desde há um tempinho, nesta cidade e a sua clara filiaçom antifascista (nom todos os comunistas som cerrados herméticos á hora de partilhar em actos organizados por anarquistas).

Entom cabe perguntar-se porque a polícia e a judicatura lançarom aos falsimedias tal ligaçom com o anarquismo insurrecional internacionalista. Que foi o que lhes levou a tal “criminalizaçom” e a deixar-nos pampos com a escasa informaçom que os liga a e-lo?.

Cabe ir atrás no tempo e parar-se a olhar o que apontavam os medias da sua greve em Fuerteventura, e assim, por medios alternativos, poidemos saber que o Xabi sumara-se, dois dias despois de iniciada, á greve de fome que já estava a levar a termo umha outra galega residente também nessa ilha, Maria Jesus Vila, “Chus” filiada á CNT !!! .

Caráfio!!! Vai ser este o fio do que tirarom para fazer a sua madeixa mediática!!

Colamos as palavras de Xabi ao respeito da sua decisom de “Sumar-me solidariamente ao protesto de Mª Jesús Vila, assim como ás reivindicaçons em contra das políticas do governo repressivo espanhol, aunándo-me á sua greve de fame desde este dia, 9 de agosto de 2012, até a resoluçom do conflicto, apoiando por tanto, o manifesto que ela mesma apresentou formalmente há tres dias” (ver acá o manifesto) .

Greve que tomarom a decissom de abandonar em 30 de agosto tras levar Chus (23 dias) e Xabi (21) (ver acá), umha greve que foi levada como um fito por parte da CNT Canária (e do resto do estado) e que recebera fortes apoios á raiz da suas reivindicaçons.

É aquí pois a ligaçom necessária??

Além desta informaçom cabe reiterar-se no que já apontamos em Abordaxe ao respeito de que familiares de Xabi afirmaram que este “nom se atopava em Vigo na data dos feitos”, senom que ainda estava “a residir em Fuerteventura” em 17 de setembro de 2012, dia no que tivera lugar o atentado.

E como remate desta informaçom sinalar a estranheça de que nengumha das detidas aproveitara a proliferaçom de medios alternativos na rede para tirar um comunicado ao respeito, cousa que, soe ser habitual em toda anarquista que cae na rede repressiva dos estados (quando pode).

Isso foi o que me levou a escrever isto, teria preferido mil vezes que fossem elxs quem contaram o que se passou e de que se lhes acusa, e o porque uns tenhem que ir cada semana a apresentar-se nos julgados e a outra tem que ir cada dia, mas ante o seu silêncio, crio necessário aclarar, até o que poidemos saber, a sua case nula filiaçom com o anarquismo. Se bem deveriam ser elxs quem se manifestaram ao respeito.

Nom quita tudo o dito para voltar a manifestar a minha total solidariedade com todas as repressaliadas por este sistema económico mundial que prima ás entidades financieras e busca criminalizar como "terroristas" a quem tira um simples "poncho" que nom chegou a provocar apenas danos. E sem que com isto queira dizer que as detidas tiveram algo a ver com esta acçom concreta da que se lhes acusa.

eDu

2 comentarios:

  1. Máis información:

    http://www.setmanaridirecta.info/noticia/les-detingudes-latac-al-club-financer-vigo-refusen-les-acusacions

    ResponderEliminar
  2. E o fan nun medio catalán? Hai que foderse

    ResponderEliminar