27 dic. 2013

Futebol: ”Fárkena é religião, caos e anarquia”

Fárkena é o nome de uma associação cultural e desportiva da Ilha de Quíos, constituída em 1982 em resposta a planificação-extensão do aeroporto local. Seis anos mais tarde foi criado, por jovens da cidade amantes do futebol, o time da associação, com o mesmo nome: Fárkena, com as cores Vermelho-Negra. Desde então a agremiação participa de torneios locais, da segunda divisão, com bons e maus resultados.

Alguns anos após a criação do time de futebol é inventada uma torcida da equipe. Um grupo de aproximadamente 60 pessoas, que compartem além do seu amor ao Fárkena, princípios antiestatais e antifascistas, contra a lógica da mercantilização do esporte e do futebol "moderno".Muitas vezes, nos jogos de futebol do Fárkena, são ecoados gritos antifascistas, antirracistas, contra jornalistas e para os presos (é comum eles arrecadarem roupas e livros para os detidos).


“Fárkena significa fascistas enforcados”, ”Fárkena é religião, caos e anarquia”, “Jornalistas, parasitas, informantes”, são alguns gritos de guerra da torcida rubro-negra.Eles também ecoam gritos contra o papel da Federação Grega de Futebol e seu presidente. Várias vezes a equipe do Fárkena foi multada por esta entidade por causa da sua vibrante e rebelde torcida. Mais: às vezes, os árbitros apoiam na “cara de pau” os adversários do Fárkena.

Um dos membros do Conselho da agremiação, Alekos Gaitanos, muitas vezes não hesitou em pagar ele mesmo as inúmeras multas, convertendo sua atitude em mais um grito de guerra dos apaixonados torcedores do Fárkena.

Agência de Notícias Anarquistas - ANA

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada