16 sept. 2013

[EEUU] Mensagem aos apoiadores do anarquista e hacktivista preso Jeremy Hammond

Eles nos reprimem, infiltram-se entre nós, criam armadilhas, assediam nossos familiares e amigos, e nos chamam de criminosos, terroristas, traidores, e quebram suas próprias leis para tentar nos parar, porque trabalhamos para expor a verdade.

A seguir, umha mensagem escrita polo anarquista e hacktivista preso Jeremy Hammond (1) e pronunciada durante um evento realizado em New York, no dia 19 de agosto, para arrecadar fundos para ele e Barrett Brown.

Saudos Rebeldes!

Eu espero que nesta tarde todos vos se encontrem no melhor estado de saúde e elevaçom de espírito. Obrigado polo apoio, para mim e para Barrett Brown [ativista e jornalista de investigaçom, preso em 12 de setembro de 2012 polo FBI, que pode ficar até 105 anos na prisom em virtude de suas reportagens sobre o coletivo hacker Anonymous e a empresa privada de espionagem e inteligência Stratfor].

Eu quero gritar para todos os meus irmãos e irmãs encerrados, aqui no Centro Penitenciário Metropolitano de New York, no Brooklyn MDC, nas Ilha Rikers, nos Túmulos, na Cadeia de Cook County em Chicago, e para todos aqueles em greves de fome nas prisons da Califórnia e de Guantánamo.

E para Bradley Manning, Barrett Brown, Julian Assange, os Cinco de Tinley Park, os Cinco da Otan, Jerry Koch, e meu querido irmão gêmeo, Jason Hammond.

Também quero agradecer as pessoas que fizeram este evento acontecer, que compareceram nas datas do meu julgamento, que escreveram cartas e enviaram livros, e que foram às manifestaçons barulhentas do lado de fora da prisom em que estou. Seus atos de solidariedade trazem-nos grande incentivo, inspiraçom e força durante estes tempos difícis.

Camaradas, estamos enfrentando umha estrutura de poder racista e capitalista que faz guerras, destrue o meio ambiente e espia cada passo que damos! Eles encerram milhons de pessoas em jaulas por "crimes" que os governos corruptos e as corporaçons multinacionais também cometem diariamente e em maior magnitude, e ainda assim nós somos os criminosos.

Eles nos encerram por possessom de armas e drogas enquanto as empresas de armamentos e as indústrias farmacêuticas som os maiores traficantes. Nos chamam de ladrons enquanto o 1% de Wall Street nos rouba compulsivamente, explora nosso trabalho, desaloja-nos de nossas casas, e recebem afiançamentos bilionários.

Eles condenam hackers e leakers enquanto a NSA [Agência Nacional de Segurança], CIA [Agência Central de Inteligência] e o FBI [Polícia Federal] espiam ilegalmente a todos e todas, e praticam cyber-espionagem através de vírus e hackeamento para sistemas estrangeiros governamentais.

Eles colocam sinais por todos os lados que dizem "se vostede ve algumha coisa, diga algumha coisa" como se seus extensivos sistemas de câmeras de segurança nom fossem o suficiente, e ainda querem que nos tornemos olhos e ouvidos adicionais para a polícia contra nossos próprios vizinhos.

Mas se vostede apontara atividades suspeitas do nosso próprio governo, se vostede publica informaçons que deveriam ser livres e públicas de qualquer forma, entom irám seguir a vostede até o fim do mundo para lhe aprisionar. Mesmo que vostede simplesmente noticie estas informaçons, irám desprestigiá-lo, intimidá-lo para achar suas fontes, ou apenas colocá-lo na prisom sob acusaçons de alarde como fizeram com Barrett Brown.

Eles nos reprimem, infiltram-se entre nós, criam armadilhas, assediam nossos familiares e amigos, e nos chamam de criminosos, terroristas, traidores, e quebram suas próprias leis para tentar nos parar, porque trabalhamos para expor a verdade.

Eles têm medo de que, se as pessoas souberem a verdade, haverá o dia em que responderom polos seus próprios crimes. Mas podemos confiar em qualquer "comissom de revisom independente" criada para investigar a NSA? Após todas as mentiras, ilegalidades flagrantes, vostede acha que qualquer um deles será acusado ou cumprirá pena? As reformas que eles propõem podem nos satisfazer algum dia?

A resposta é, obviamente, nom.

A justiça nom pode nunca ser encontrada nos tribunais das autoridades.

Sim, precisamos eliminar sentenças mínimas obrigatórias, mas o Procurador Geral Eric Holder nom dá a mínima para prisons superlotadas.

A administraçom Obama nom está interessada em tal debate sobre "o balanço entre privacidade e segurança" porque eles continuarám espiando a todos, independente de opiniom pública, até que nós possamos barrá-los.

O tempo para falar está acabado, é o tempo para a recusa coletiva, desobediência civil, e açom direta. Nós precisamos apoiar todos àqueles que arriscam sua liberdade e suas vidas para expor e confrontar a estrutura de poder, e continuar a luta até que paremos as guerras e as paredes das prisons desmoronem e todos juntos possamos ser novamente livres e iguais!

Do seu, pela Revoluçom,

Jeremy Hammond
................................

(1) Entenda um pouco o “Caso Jeremy Hammond”

Jeremy Hammond (Chicago 8/01/1985), é um moço anarquista e programador informático de 27 anos, que leva desde o 5 de março de 2012 detido e encarcerado, dispersado num cárcere de máxima seguridade de New York, sometido a fortes medidas de control e censura. Jeremy, junto a outr@s seis ciberactivistas de Irlanda, Reino Unido e Holanda, foi acusado sobre a base das declaraçons e a colabouraçom dum informante do FBI. Acúsaselhes de ter roubado datos da empresa privada de seguridade e inteligência "Strategic Forecasting Inc" (Stratfor), datos relaçonados com trabalhos realizados pola devandita empresa para agências estatais como a NSA, CIA ou FBI e filtralos a Wikileaks para a súa difusom pública. Estes datos demonstram a vigiância pública, a través de empresas privadas, de todo tipo de activistas e movementos sociais. Jeremy e os seus compas som acusad@s de conformar um grupo internacional de hackers denominado "LulzSec" que teria atacado webs de empresas e instituiçons públicas norteamericanas.

Jeremy foi preso em sua casa em Chicago, e está acusado de Ato de Fraude e Abuso de Computadores, a mesma legislaçom utilizada para processar o ativista de internet Aaron Swartz [ele suicidou-se em 11 de janeiro de 2013, em Nova York]. Esta lei ultrapassada, escrita antes mesmo da internet ter sido criada, dá poderes amplamente absurdos para corporaçons e advogados criminalizarem um conjunto de atividades online e perseguir sentenças extremas e desproporcionais. Por contraste, a defesa conjunta de Jeremy na Irlanda nom será processada no Reino Unido ninguém irá passar mais de 16 meses na prisom.

Jeremy Hammond foi desde os seus anos de instituto um militante moi activo, contra a guerra de Iraq, os grupos nazis e dereitistas, contra a repressom, etc. Em dezembro de 2006 fora condenado a 2 anos de cárcere por atacar a página web do grupo dereitista "Patriot Action" (beligerante contra os grupos e activistas anti-guerra), e cumpriu integramente a súa pena num cárcere federal em Greenville (Illinois).

O juízo de Jeremy iniciouse o passado 23 de julho em New York. Ante umha pena que podería acadar os 30 anos de prisom Jeremy declarouse autor dos feitos imputados com o que se enfrontará a umha pena máxima de 10 anos. Agora o companheiro está á espera de da sentenza do tribunal.

Jeremy teve sua fiança negada, foi arrancado de sua família, e mantido em confinamento solitário - tratamento normalmente reservado para os delitos mais graves. Ele nom fez nada para ganho pessoal, e tudo na esperança de fazer do mundo um lugar melhor. Ele está enfrentando sentença máxima de dez anos, mas a mínima é zero. Está preso desde março de 2012 esperando o julgamento e sob condenaçom. É a hora de ele voltar para casa.

Declaraçom de Jeremy tras as sessons iniciais do seu juízo:

"Agora que me declarei culpável é um alivio ser livre para dizer que colaborei com Anonymous para hackear Stratfor, entre outras moitas páginas web. Entre outras as de empresas que subministram ao ejercito e a polícia, empresas privadas de inteligência e seguridade e agencias das forças da lei. Fígem-no porque crio que a gente tem direito a conhecer o que os governos e corporaçons estám a fazer a porta pechada. Figem o que crio que é correcto"

Mais infos e atualizaçons sobre o caso Jeremy Hammond (em inglês): http://freejeremy.net/

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada