20 ago. 2013

Quatro imputados por enaltecer a supostos membros de Resistência Galega (Actualizado)

Recolhemos do jornal alternativo basco naiz.info e de medios comerciais esta notícia de última hora (e que actualizamos num Post Scriptum ao final da mesma):

O juíz da Audiência Nacional espanhola Eloy Velasco vem de imputar um delito de «enaltecimento do terrorismo» a quatro pessoas que participaram em 2 de julho (*) numha manifestaçom solidária em Compostela portando faixas com as fotos das quatro pessoas acusadas de pertencer a Resistência Galega e que forom julgadas a finais de junho por esse tribunal e que ainda estám em espera de sentência. Cabe sinalar que as quatro pessoas acusadas por este tribunal excepçonal negaram ante o juíz a sua pertenencia à organizaçom Resistência Galega e defenderam a via democrática para resolver os conflitos políticos.

Segundo informam fontes jurídicas, o magistrado citou para o 4 de setembro às 11.00 horas aos quatro imputados, que som B.M.R., R.M.R, J.L.L. e X.R.S. quem, segundo algumhas fontes, foram identificadas pola polícia na manifestaçom e esta passou o atestado à fiscalia, quem à sua vez apresentou umha querela por enaltecimento do terrorismo e agora o juíz Velasco tomou-na em consideraçom, ainda que, como resaltam alguns medios comerciais, as pessoas que apareciam nas faixas e que supostamente estám vinculadas com o grupo Resistência Galega todavia nom forom condenadas por nengum delito relaçonado com o terrorismo.

Cabe destacar a atitude dalgum falsimedio criminalizando já a estas pessoas e como ejemplo de jornalismo criminalizador, o prémio o leva o cabeçalho da RTVG digital, que colamos tal qual: "Catro simpatizantes de Resistencia Galega imputados por enxalzamento do terrorismo".

eDu

(*) Post scríptum.- O portal Galiza Livre aclara que "Esta informaçom foi difundida atravês da agência do régime Europa Press, na que alegava a participaçom das pessoas imputadas por participarem em umha concentraçom o passado 2 de Julho em Compostela. Concentraçom da que nom temos conhecimento, polo qual pode-se suspeitar que seja um erro, o qual nom seria extranho dado que a única fonte da agência é o Ministério de Interior. O imputaçom, supostamente, seria obra da perícia policial para identificar estas pessoas".

Além apontam neste portal que "Este delito segundo a legislaçom espanhola pode supór umha condena de até dous anos de prisom. Até o de agora já declararom sob esta acusaçom seis moças de Ourense, quatro participantes num lipdub em Ginzo e agora estas novas quatro pessoas".

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada