7 jun. 2013

Sobre o assassinato dum antifascista bretom em Paris


Entre berros de "No Pasarán" (assim em castelám) centos de "antifas" despediam ontem ao seu compa Clément Méric, que com tam só 18 anos chegara a Paris a estudar Ciências Políticas provinte da localidade bretona de Brest, onde começara o seu activismo antifa que o levou ao chegar a Paris a filiar-se ao sindicato Solidaires Etudiant–e–s eSciences Po e no grupo Antifascista Paris–Banlieu.

Em 5 de junho quando estava junto a tres amigos, foi reconhecido por vários fascistas num mercado e começou um enfrontamento, no que os nazistas usarom punhos americanos, com o resultado de que um dos golpes fijo-lhe caer de costas a Clément com a mala sorte de golpear-se na sua caida com um bolardo de ferro o que provocaria a sua perda de conhecemnto e posteiror morte.

Sete neonazis involucrados foron a posteirori detidos, entre eles o ejecutor do crimem, com nacionalidade espanhola, membros do grupo ultradireitista "Joventude Nacionalista Revolucionária" moi activos nas últimas manifestaçons francesas contra os direitos de homosexuais e lesbianas.

A hipócrita caste política, pola sua parte, começou de imediato o seu circo de declaraçons de condena, começando polo alcalde de París, que memso assistiu a umha concentraçom na memória de Clément, quando o passado 12 de Maio permitira com tuda naturalidade um desfile dos nazis de JNR (de quem, os agora detidos, formavam parte moi activa do seu corpo de guardas). Ou mesmo a fascista Marine Le Pen, quem se desmarca de todos istos grupos quando há testemunhas que confirmam que um dos agressores levava umha camisola da Fronte Nacional (segundo informaçom recabada de medios burgueses).

Istos medios burguese colabourarom com o seu habitual trabalho de desinformaçom buscando o morbo e o espectáculo (a isto sumam-se hoje os falsimedios espanhois ao dar-se a conhecer a origem espanhola do presunto assassino), e falando desde o primeiro momento dumha "peleja entre extremistas", e tardando em confirmar a morte de Clément até case 20 horas despois e dando cobertura, nesse tempo, ao líder nazi Batskin, para que contara ao vivo a sua conversa com os agressores na noite dos feitos (quando ainda nom estavam identificados pola polícia).

O assassinato de Clément enmarca-se assim no contexto de violência que os grupos de extrema direita levarom a cabo nos últimos meses auspiciados pola direita parlamentária que promoveu o ódio aos homosexuais e lesbianas.

Dizer que em numerosas vilas e cidades de francia e outros lugares do mundo houvo concentraçons e manifestaçons de repulsa e em memória de Clément e que amanhá sábado há outra convocada em Paris que aguarda ser numerosa.

Um abraço moi forte para a sua gente e desde aqui toda a nossa solidariedade.

Notícia redactada por eDu

2 comentarios:

  1. http://katadopein.blogspot.com.es/2013/06/concentracion-9-junio-ninguna-agresion.html

    Concentración en memoria dxs antifascistas mortxs e en solidaridade cxs compas de París.

    Domingo 9 de xuño ás 12:00 h.
    Pza. Tirso de Molina - Madrid

    ResponderEliminar
  2. En Vigo, domingo 9 de xunho concentración ás 20:00h na Farola de Urzaiz!!

    ResponderEliminar