20 jun. 2013

Repressom contra a mocidade ourensá solidária com as presas independentistas

Umha mostra mais do ingénio repressivo espanhol que chega a situaçons tam absurdas como denunciar por apologia de terrorismo portar fotos de pessoas prisioneiras do estado espanhol e pendentes de ser julgadas (ou seja que, como as pessoas das fotos ainda nom forom sentenciadas como terroristas, é impossível fazer apologia). Colamos a notícia da web de CEIVAR :

Os próximos dias 24, 25 e 26 de Junho estám citadas a declarar na AN cinco jovens ourensás, acusados de apologia do terrorismo por portar fotos dos presos independentistas na manifestaçom do 1º de Maio na sua cidade. Pola mesma causa vem de abrir o mesmo julgado diligências a outros dous solidários, também ourensanos, nesta ocasiom por portar as fotos dos presos num ato na mesma cidade no 25 de Abril.

Com estas 7 pessoas, já som 11 as imputadas por este suposto delito, polo que já foram chamadas a declarar outras quatro pola sua participaçom num libdup do CS Aguilhoar da Límia, portando fotos das presas, ato que tivo lugar hai mais de um ano.

A novidade no caso dos cinco jovens que declararám os dias 24, 25 e 26 é que, por ser menores de idade, tem a obriga de declarar frente a um julgado especial de menores em Madrid, mentres que nos outros casos a declaraçom realizou-se e realizara-se nos julgados mais próximos aos domicílios das imputadas. Sem lugar a dúvidas esta classe de manobras nom som casuais e perseguem endurecer a repressom, forçando a implicaçom direta das famílias dos menores.

Esta vaga repressiva que centra o seu objetivo nas mostras de solidariedade frente ao juízo de Teto, Edu, Maria e Antom do próximo 25 e 26, persegue sem dúvida o silenciamento do posicionamento do independentismo frente esta questom, já que carece de fundamento jurídico, ao nom poder existir um delito de enaltecimento quando as fotos portadas som de pessoas que nem sequer tem sido julgadas e condenadas por delito algum.

eDu

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada