27 mar. 2013

[Portugal] 5, 6, 7 de Abril.- Conferência Libertária Setúbal 2013

Enquanto espaço de debate e discussom ela proponhem-se aprofundar questons e a reflectir sobre a realidade que atravessamos na regiom portuguesa. Enquanto espaço de reflexom sobre o passado recente, ou nom, pode dar-nos respostas para problemas e questons que nos permitam enfrentar o futuro. Enquanto espaço de convívio e troca de experiências ela procura aproximar pessoas, colectivos, grupos e projectos. Enquanto, simplesmente, conferência proponhem-se a juntar diferentes e variadas perspectivas libertárias que, independentemente das diferenças, partilham a recusa da autoridade como ideia e método.

A Conferência Libertária Setúbal 2013 (CLS2013) está aberta e é dirigida a todas as que se revêm na necessidade de uma prática, um ideário e uma experiência libertárias. Convida, da mesma forma, a participar e atender às variadas conversas, discussões e apresentações que decorrerám em espaços da cidade de Setúbal durante os dias em que terá lugar a CLS2013.

Para apresentaçons de propostas para conversas e painéis contactar para conflib.setubal(arroba)portugalmail.pt

Para breve será divulgado um programa detalhado das actividades que terám lugar durante a CLS2013. Entanto publicamos o texto de apresentaçom, recolhido de ContraInfo.pt :


O momento social e político que atravessamos, na regiom portuguesa e na Europa, oferece-nos a austeridade e a crise como monstros avassaladores que dos quais é impossível fugir e que som impossíveis de ultrapassar. De facto, basta olharmos à nossa volta e lá está a austeridade a ser abanada tanto como soluçom para os problemas, pelos políticos no poder, ou como arma de arremesso e indignaçom, por uma esquerda que espera caçar votos à custa da miséria alheia. As sucessivas rotaçons na cadeira do poder estám aí para durar e neste momento, em Portugal, estamos possivelmente, na iminência de mais uma mudança de governo.

O que sabemos, de anos e anos da mesma história, é que independentemente de quem se sente na cadeira do poder, a exploraçom, como base fundamental da engrenagem da presente sociedade, está mais explícita, mais incómoda e mais violenta.

Mas nós, continuamos a transportar um mundo novo nos nossos coraçons e, ao que parece, a tendência geral é a de que mais protestos tenham lugar nas ruas e que muitos deles se organizem de forma espontânea e horizontal.

Por isso, a presença das perspectivas e ideias libertárias é de extrema importância num mundo em mudança, enquanto contributos para a luta e a alternativa à violência deste sistema. É neste momento que mais urge debater, pensar e reflectir com o objectivo declarado de agir, ou seja, lutar contra e confrontar a exploraçom e a dominaçom que este sistema económico, social e político exerce sobre todos. Da mesma forma, a recusa da autoridade como base da relaçom entre os seres humanos entre si, e destes com a natureza, a autonomia e a acçom directa como métodos e pensamento, som as ideias que queremos desenvolver e propor.

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada