13 jun. 2011

[Grécia] Acçons solidárias antes do juízo do anarquista Aris Seirinidis

Em 7 de junho, aconteceu umha série de acçons em toda a Grécia em solidariedade com o anarquista Aris Serinidis. O juízo de Aris ia ter início na quarta-feira (dia 8), mas foi transferido para a sexta (venres) dia 10.

Em Atenas, o Conselho de Estado foi bloqueado por anarquistas na manhã do martes 7. Em Tessalônica, umha estaçom de rádio local (FM100) foi ocupada e lidos textos solidários no ar. Também em Tessalônica, Ioannina e Xanthi, anarquistas estabeleceram sistemas de megafones e distribuiçom de textos em solidariedade com Aris em praças públicas.

Ao dia seguinte, mércores 8, à tarde, aconteceu um “moto rali” de solidariedade em Atenas com mais de 100 motoclicletas. Gritando palavras de ordem e jogando folhetos os manifestantes percorreram várias ruas do centro de Atenas. Lukanikos, o cam de rua "anarquista", também participou do protesto.

Mais fotos do “moto rali” acá:

Caso Aris Seirinidis

Aris Seirinidis foi preso em 3 de maio de 2010 em uma batida aleatória da polícia em Atenas e acusado, em princípio, de "possessom de armas" e "resistência à autoridade". Logo a imprensa e a polícia lançaram umha campanha de desinformaçom insinuando que Aris e outro anarquista realizaram um “roubo sangrento" num grande supermercado. No dia seguinte, as mesmas autoridades rejeitaram essa versom, e em 7 de maio foi decidido colocar Aris em liberdade sob fiança com acusaçons. No entanto, os polícias nom contentes com esta decisom, imediatamente antes que o companheiro tivesse sido liberado para a rua emitiram um novo mandado de detençom. Desta vez Aris estava sendo acusado de atirar em polícias. Trata-se de um caso raro, umha daquelas histórias que se transformam em "lendas urbanas": no início de julho de 2009 pela tarde, umha pessoa vestida de shorts, chinelos e... chapéu mexicano, coberto com umha máscara de médico saiu na rua Harilau Trikoupi, em Exarchia, e fez alguns disparos contra umha unidade da polícia que vigiava a sede do Pasok (Partido Socialista Grego). O caso chamado pelos meíos de "um louco com chapéu" tornou-se um embaraço para a polícia. A única prova que encontraram foi a dita máscara de médico e declaram que seus testes de ADN batia com o material genético encontrado na carteira de Aris. Existem muitas contradiçõns neste caso, até as declaraçõns do chefe da polícia da unidade de controle antimotim nom coincide com as características físicas de Aris.

Tirado da agência de notícias anarquistas-ana

No hay comentarios:

Publicar un comentario