20 jun. 2014

Os nacionalistas galegos e o maltrato animal

Abordaxe.- Nom vou entrar no tema alimentário (eu, na minha inconsequência, nom som vegeta e seria um tanto hipócrita pela minha parte criticar os habitos alimentícios de quem fai da churrascada algo cultural e intrinsicamente galego, ainda que provenha das Américas); mas o que nom é de recebo é que saiam a criticar as touradas como maltrato animal como jeito de ganhar-se uns votinhos, quando a sua única razom para opôr-se nom é a tortura que sofre o animal, senom só o feito de que seja algo "cultural" da Espanha que rejeitam: Notanto defendem a festa do Boi de Alhariz como património de galeguidade, e de feito foram o exvicepresidente do bipartito Anjo Quintana e os seus coleguis alaricanos, quem recuperaram essa festa anticatólica (se bem com a mesma poderia-se falar de-la como pro-judáica), ao igual que o nacionalismo catalám defende os "correbous" e o basco os "sanfermines".

Mas do que queria falar hoje, por ser tema de atualidade, é do jeito em que estes nacionalistas quigerom emular a retranca anti-monárquica de froilanistas, helenistas e pokemons. E assim em Compostela foi coroado um Porco (se bem foi algo simbólico porque era umha pessoa disfarçada de tal); mas em Lugo, foi "coroado" um Burro entre os aplausos das pessoas participantes, com o nome de Cuco I !!

E digo eu, que culpa terám os animais das gilipolheces dos humanos que ainda permitimos ter-mos um rei??. Fazedes burla dum animal, mas somos os humanos quem permitimos a realeza, mesmo quem damos valor económico e de nobreza aos "animais de companhia com pedigri" (um título de cosanguineidade moi similar ao da realeza humana).

Por se algum nacionata ainda nom o sabe o rei Leom é um conto.

Tinha que dize-lo!!

eDu

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada