23 jun. 2014

O concelleiro do PP e pai do Garda Civil indultado: "Mi hijo no tiene que pedir perdón, la mujer no lo merece"



Abordaxe.- Contavamos há uns dias que o ministro anti-abortista Gallardón indultara a Manuel Arbesú González, um Garda Civil que gravara "sem deixar de rir" umha agresom sexual; e com certa retranca apontavamos que o garda, já é maldita casualidade, é filho dum concelheiro do PP em Lena (Asturies).

Pois bem, este fascista machirulo, do PP (Pai de Picolo), que atende ao nome de José Manuel Arbesú Santamaría, dias depois de saltar aos medios o "indulto galhardo", saiu na defessa do seu filho com estas palavras (sic): "Mi hijo no tiene que pedir perdón, la señora no lo merece porque fue la causante de este problema" e engadiu: "mi hijo no presenció tocamientos a la víctima" e mesmo alegou que "la grabación la realizó en plan de broma".

Além vimos de saber que a justificaçom do indulto atende ás "circunstâncias do condenado", nas que "concorrem razons de justiça e equidade". Se atendemos a definiçom do "Estraviz", na sua quarta acepçom da palavra equidade, temos "propensom a se deixar guiar polo próprio sentimento do dever ou a conciência, mais que pola disposiçom da lei"; ve-se que o picolo devia rir as graças do seu colega acosador e que a sua conciência é tam suja como a do seu pai e a de Gallardón, e de ai o indulto.

Também contavamos que fora o pai do picolo quem orquestrara umha campanha na vila para que o seu filho fosse indultado, e agora sabemos que nom foi o único que intercedera para que José Manuel Arbesú González recebera a graça governamental, senom que a campanha contou com o apoio do alcaide da localidade Ramón Argüelles Cordero, de Izquierda Unida.

eDu

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada