30 jun. 2014

[Grécia]: Intensifica-se (dentro e fora dos muros) a luta contra a construçom de prisons de máxima segurança.

Redactamos esta informaçom recolhendo o publicado em ContraInfo(pt) e o que recebemos na nossa caixa de correios da Agência de Notícias Anarquistas (ANA):

Como já vimos informando em Abordaxe desde que na Grécia o governo quere que a Pena de Morte vista de Prisons de Segurança Máxima, estám-se a intensificar as lutas contra esta pretensom que conlevaria isolamento dxs presxs lutadorxs e rebeldes, o endurecimento das suas penas, a aboliçom das licenças para deixar a prisom, a restriçom do direito à comunicaçom, o endurecimento das normas prisionais, e a recompensa e promoçom de lambe-cus.


Com as condiçons especiais de detençom para quem estám intramuros, e condiçons especiais de sobrevivência para quem estám extramuros, as lutas dentro e fora dos presídios estám intimamente ligadas. Nossa solidariedade com as lutas dxs presxs constitui um momento da luta social e de classes por umha sociedade livre sem classes.

A 27 de Junho, a rede de lutadores presos na Grécia apelou à solidariedade com esta luta, referindo-se também ao caso de greve da fome de Nicolò Angelino, que foi preso em Itália. Esta luta completa-se, como é devido, através de acçons solidárias multiformes.

E assim, para fazer patente a solidariedade das de fora para com as presas que estám lutando dentro, este sábado passado, 28 de junho, em Atenas e convocadas pela recém criada Assembleia Aberta de Anarquistas e Antiautoritários Contra as Condiçons Especiais de Detençom e por vários colectivos anarquistas, tivo lugar umha exitosa Manifestaçom, da que participaram mais de 3.000 pessoas numha marcha pelas ruas do centro da cidade, que durou pouco mais de umha hora. Durante a marcha xs manifestantes nom deixaram de gritar palavras de ordem como "Todos os princípios desta sociedade som as prisons de segurança máxima", "A solidariedade é a arma do povo, guerra contra a guerra dos patrons", "Eles desde os calabouços e nós desde a rua: juntos vamos abolir o Estado e as leis", "A paixom pela liberdade é mais forte do que todas as cadeias", "Liberdade para todxs xs prisioneirxs". (ver video):



Já com anterioridade, enquadrando esta luta, na 4ª feira à noite, 25 de Junho, dois grupos de compas sairam de forma coordenada às ruas Olympiados e Grigoriou Lampraki, para levantar barricadas e cortar o tráfego, vertendo gasolina e deitando fogo a pneumáticos e contentores:

A luta dentro dos muros também está a ser intensificada, dada a aproximaçom da votaçom do projecto de lei pela construçom de prisons de máxima segurança – na próxima 5ª feira, 3 de Julho de 2014.

Até agora e que saibamos já mais de 30 grevistas da fome foram transferidos já para o hospital da prisom de homens de Koridallos; durante a manhã de 28 de Junho os compas Panagiotis Argirou e Michalis Nikolopoulos (membros presos da Conspiraçom das Células de Lume) tiveram de ser transferidos também, para o mesmo hospital, tal como os compas Argyris Ntalios, Yannis Michailidis e Nikos Romanos.

No entanto, no serviço de saúde da prisom assim como no hospital nom existe pessoal para cuidar dos grevistas que aí som levados de urgência enquanto que a administraçom da prisom mostra umha total indiferença pelo seu estado de saúde, enviando-os de volta às alas prisionais. Para mais, os carcereiros têm sido postos em “interrupçom laboral”, cortando assim, de fato, as visitas axs presxs (dxs advogadxs e famílias). Em resposta a estes fatos, a 27 de Junho ao fim da tarde em Koridallos, os presos permaneceram umha hora a mais fora das suas celas, após o tempo de pátio.

Salienta-se aqui que a compa Olga Ekonomidou, na prisom de mulheres, entrou em greve da fome a 25 de Junho.

Em termos numéricos, presos de mais duas prisons juntaram-se à mobilizaçom (50 em Corinto e 60 na ilha de Kos). Por outro lado, na prisom da ilha de Corfu, mais presos entraram em greve da fome após umha forte e calorosa intervençom solidária junto aos muros deste centro de extermínio, realizada por 20 pessoas na noite de 26 de Junho (ver video):



Por fim, em relaçom à prisom de Alikarnassos (Ilha de Creta), a totalidade dos presos participa nos protestos mediante a abstençom da comida de prisom (para os mais pobres dos presos isto quase equivale a umha greve de fome).

Este momento histórico nom nos deve encontrar inconsistentes, antes sim prontxs e convencidxs a combater tanto este projecto de lei, em concreto, como também toda a condiçom de confinamento e repressom que temos tolerado até agora. Posicionamo-nos contra o Estado e o Capital, posicionamo-nos ao lado dxs presxs em luta.

Continuaremos as actualizaçons sobre este assunto. Incentivamos à reproduçom das notícias relativas à luta contra o novo projecto de lei assim como encorajamos à realizaçom de gestos solidários para além das fronteiras.

Vemos-nos nas ruas, até à destruiçom completa das prisons.

Solidariedade com a luta dxs presxs.

Anarquistas


Fotos da manifa de Atenas

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada