28 abr. 2014

[Israel] Cinco crianças som condenadas à Cadeia Perpétua por atirar pedras

Israel, a única "democracia" de oriente que conta com plenas simpatias de todos os paises "democráticos" de occidente, têm estas particularidades que som ocultas ou desfarçadas na impressa comercial, e de tal magnitude som as barbaridades que cometem contra o povo palestiniano, que soam a mentira manipulada pelos "partidistas" dos terroristas arabes, como poideramos ser nós que nos fazemos eco desta notícia facilitada pela Agência de Notícias Anarquistas (A.N.A.) e ampliamos com estoutra da web "Desinformémonos":

Ali Shamlawi, Mohamad Kleib, Mohamad Suleiman, Ammar Souf e Tamer Souf enfrentam-se a umha condena à prisom perpétua; ficam detidos num cárcere israelita acusados de 25 cárregos de intento de assassinato por presunto lançamento de pedras (ao parecer, conta um cárrego por cada suposta pedra lançada) contra o veículo no que viajavam Adva Biton, e tres filhas, todas colonas ilegais israelenses. Os menores negam estar envolvidos e suas famílias apelam para a justiça internacional. Os meninhos foram etiquetados como “terroristas” sem que se levara a termo umha investigaçom objectiva. Foram condenados nos media israelitas mesmo antes de que “confesaram” baixo tortura.



Arredor das 18:30 horas da quarta feria 14 de março de 2013, um carro foi-se espetar contra a parte traseira dum camiom parado. A conductora e as suas tres filhas resultaram feridas, umha delas de gravidade. A conductora, Adva Biton, regressava á colonia ilegal israelita de Yakir quando acontecera o accidente. Mais tarde afirmou que este fora a consequência de que rapazes palestinianos lançaram pedras contra o seu carro. O camioneiro declarara imediatamente depois do accidente que se deivera por mor dum pinchaço, se bem mais tarde mudou a sua declaraçom e digera que viu pedras na estrada.

Nom ha testemunhas do accidente do carro. Ninguém viu meninhos ou jovens lançando pedras nesse dia.

Em total, 19 adolescentes das aldeias vizinhas de Hares e Kifl Hares foram detidos em relaçom com os supostos feitos, nengum deles tinha antecedentes. Depois de interrogatórios violentos, a maioria fora posta em liberdade, a excepçom de cinco, que permanecem em Megiddo, umha prisom para adultos. Eles som os “moços de Hares”.

As organizaçons de direitos humanos e direitos da criança denunciam que 74% das crianças palestinas presas pelo regime de Israel estám sujeitas a violência física durante a detençom, a transferência para a prisom ou o interrogatório.

A autoridade israelense é a única autoridade no mundo que processa crianças em tribunais militares, sem sequer assegurar-lhes um julgamento justo e com garantias. No 99.7% dos casos estes "tribunais democráticos" condena aos minores palestinos (numha tasa similar a dos piores regímenes totalitários do mundo no século passado).

De acordo com as últimas estatísticas, 173 crianças palestinas estám em prisons israelitas, 16 deles tem entre 12 e 16 anos.

Mais informaçom na web de referência "Desinformémonos":

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada