10 oct. 2013

[Itália] “La Belle Verte”: umha comuna libertária

Comunicado do começo "oficial" do projecto "La Belle Verte" em 1 de outubro:

O projecto de umha nova comuna libertária nasce da experiência e do debate, desenvolvido entre alguns grupos locais do Lácio, com o mérito de conciliar as visons críticas causadas pola “crise” com as realizaçons de práticas autogestionárias que representam o embriom contaminante de umha sociedade liberada.

Nos quase cinco anos de trabalho foram sendo progressivamente delineados os objectivos e conteúdos, através de pesquisas e experimentaçons, encontros, partindo dos métodos organizativos desenvolvidos no interior das actividades colectivas para definir as perspectivas económicas, desembocando nas intervençons políticas, que assumiram um rol central na açom libertária em nosso território. O projecto começará “oficialmente” em primeiro de outubro de 2013 com a tomada de posse das casas e a divisom conjunta dos recursos iniciais, das actividades individuais dxs comuneirxs e com o cultivo dos terrenos da Comuna, que serám adquiridos sucessivamente graças a listas de apoio, créditos, doaçons de companheiras e companheiros. A propriedade destes bens ficará em nome da Associaçom “La Belle Verte”, para conseguir, retomando experiências precedentes com as quais foi aberta umha profícua relaçom, criar de feito um lugar sem patrons, um bem sobre o qual ninguém poderá reivindicar a propriedade, em substância um lugar do movimento. Mas o trabalho nom é somente nos canteiros de obra ou nos campos: um grande espaço será dedicado aos momentos de assembleia nos quais girará a vida e as escolhas da Comuna, continuando a experimentaçom das prácticas coerentes na base de nosso agir político e no qual doravante se construirá a nossa vida.

Este sonho, que foi cultivado junto ao cultivo de nossas hortas experimentais há mais de cinco anos, torna-se assim realidade. Os seus princípios fundamentais som sobretudo a crítica radical da propriedade privada e os modelos decisórios baseados na síntese, amplamente experimentada polxs comuneirxs no interior do “contêiner” Povo 33, realidade libertária que em pouco menos de três anos soube tornar-se um dos maiores e mais fecundos sujeitos políticos da província de Rieti, operando em todo o território.

Mas o nó central permanece a crítica à propriedade, enquanto consideramos que a igualdade económica seja a condiçom sine qua non de qualquer outra igualdade, mesmo no interior de estructuras anarquistas, porque somente através do alcance dessa condiçom se verifica a inclinaçom natural para colocar x indivídux, a sua autonomia e o seu pleno desenvolvimento no centro dos projetos e dos métodos de trabalho. Tudo isto torna-se ainda mais importante no momento em que, na actual fase histórica, os conceitos aplicados de autogestom, acçom directa, de solidariedade e apoio mútuo estám em grau de representar umha resposta concreta a umha necessidade que é percebida cada vez mais por homens e mulheres. A de interpretar e dar umha resposta a umha real necessidade de mudança que assume componentes reconhecíveis e possui umha grande capacidade de envolvimento, mas, sobretudo, de contaminaçom profunda.

Nas intençons dxs comuneirxs que dam vida ao projecto, a actividade visa realizar o mais alto nível de autosuficiência, de liberdade e de solidariedade, através do trabalho e do agir colectivo, apontando para a eliminaçom de qualquer forma de hierarquia, explícita ou implícita. A Belle deverá ser um laboratório cotidiano da autogestom, capaz de conciliar o máximo desenvolvimento das possibilidades individuais e a máxima negaçom das leis de mercado, em respeito às diversidades humanas, enfim, um laboratório no qual se experimente a relaçom entre a dimensom individual e a coletiva que, por si, tende a negar a injustiça existente na base do sistema dominante.

Longe de nós a presunçom de poder facilmente alcançar estas ideias, mas somos entusiastas em iniciar juntxs e enfrentar cotidianamente os conflictos contínuos entre o privado e o colectivo e a dificuldade para o alcance de umha verdadeira igualdade, contra a influência das piores leis da economia que representam, ao nosso ver, as grandes dificuldades deste percurso.

Estamos, também, desde o início conscientes e dispostxs a tomar encargo das inevitáveis contradiçons às quais nom temos nemguma intençom de subtrairmos, reivindicando simplesmente um tam ingénuo quanto hipócrita, imóvel “purismo”, mas tentando, sobretudo, reconduzir essas contradiçons, desviando-as para um contexto diferente daquele que diz respeito apenas ao poder.

Para concluir queremos endereçar um convite a todas e todos para se sentirem parte deste projeto, apoiando-o, conhecendo-o mas também sugerindo, aconselhando e criticando-o.

Comuna “La Belle Verte”

------------------------------------------------

Tradução ao portugês - Carlo Romani (traduçom ao galego - eDu)

Notícia difundida x agência de notícias anarquistas-ana

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada