23 ago. 2013

A imune apologia do franquismo do PP. Os casos do alcalde de Baralha e dos cachorros valenciás

Quem isto subscreve já peitea canas desde há bem anos como para se surpreender por estes últimos casos de apologia do franquismo. Nom há nada novo nem é algo "pontoal". Fam-no a cotio e todos os dias das suas vidas porque sabem que goçam do direito a expresar-se "em liberdade" na sua democracia feita à sua medida onde "tudo ficou atado e bem atado".

Quem, na altura, ainda nom saiba que tra-la morte de Franco nom houvo nengumha mudança no que atinge aos corpos policiais, militares e judicatura, poida que manifeste estupor porque sempre lhe digeram que viviam em democracia e que a época das "dos españas" já era história. E de certo, pero nom porque a "España unaynocincuentayuna" se reconvirtera à democracia, senom porque, a mal chamada "España Republicana" (Franco também era republicano), a "España roja" tingiuo-se imediatamente de rosa misturada de azul  ao tempo que mudavam a fouce e o martelo por quantiosas subvençons e umha boa parte do doce pasteleio de cadeiras e poltronas com direito a substanciosos negocietes, esquecendo assim nas beiras aos mortos e represialiados nos quarenta anos de dictadura franquista. Silêncio e submissom em troques de dinheiro contante e bem soante para sindicalistos VIP, socioslistos e eurocomodistas.

Agora pretendem fazer-nos crêr que se escandalizam por casos como o do alcalde de Baralha (depois de anos de inhorar as bravuconadas do alcalde de Beade  ) e sorpreendem-se da impunidade das fotos dos cachorros do PP valenciá exibindo-se com símbolos franquistas, quando nunca renunciarom a eles e nunca se agocharom para exibi-los (nem os de Valência nem os de nengures) e igual estou a errar, pero eu nom me lembro de nengum julgamento por exaltaçom do franquismo (e que alguém me corrija, mas crio que nem existe essa figura penal).

Esta é a democracia na que vivemos, e vos que vos escandalizades, ides seguir votando para mante-la??

eDu

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada