15 mar. 2012

[$hile] Greve de Fome de 2800 pessoas do cárcere "Modelo" Colina I


Dende o Mércores 7 de Março , 2800 internos do CCP Colina I encontram-se em greve de fome com carácter indefinido. As suas demandas apontam ao cumprimento de direitos constituçonais, que deveriam estar assegurados para qualquer cidadá; estas vam dende os tratos inhumanos tanto a internos como a vissitas, às condiçons nas que se atopam as instalaçons, dende os banhos até os talheres, tendo na conta de que Colina I é catalogada como um cárcere modelo, sobre tudo polo seu carácter de suposta reinserçom.

No tempo que se passou desde o início da greve vários presos forom transladados arbitrariamente e as familiares forom brutalmente golpizadas e mesmo atacadas com cans polícias quando realizavam um protesto pacífico, tal como dam a conhecer no seu terceiro comunicado da greve


Cabe sinalar que a actitude das autoridades, tanto do cárcere (do alcaide Juan Carlos Manríquez) como do ministro de Justiza chileno (Teodoro Ribera) é a habitual nestes casos, criminalizar e mesmo referir-se às pessoas presas como um perigo para a sociedade, o que, para eles, deve sinificar que nom merecem nengum direito por moi constituiçonal que seja.

Pelo seu interese colamos e traduzimos o seguinte escrito do artista Francisco Tapia (Papas Frita) dirigido ao Ministro de Justiza e a director da Gendarmeria (o que vem sendo o director geral de prisions)

Sr. Teodoro Ribera e Luis Masferrer

Com muito respeito e sem ánimos de ofender-vos, pero a honestidade é necessária, aimda que perda dez passos na minha relaçom com vostedes mas ainda crio que está de mais dizer que nom crio no sistema carcerário, que por mim toda a montagem de justizas dum estado incluindo os cárceres deveriam desaparecer, para que recém poidamos começar a falar de justiza e sentar na mesa trasparentemente e sem mentir-nos. Como nom crio na existência dos cárceres menos vou crêr nas instituiçons que as mantenhem, hoje pergunto-me de que servirom 81 anos como experiência de gendarmeria para aprender a como administrar um cárcere?, este invento importado por vostedes e que ainda nom sabem como desenhar, nem como administrar um só de 110? ainda que devo imaginar que nas que se encontram ex-funcionários militares, polícias e essa elite de Chile administram-se por graça divina. Imagino que nom sabem como administrar um onde o pobre vive... porque si as vezes que nos reunimos votedes falam-me de direito e dignidade para as pessoas presas, de inversom e dinheiro para melhorar a crise carcerária, é porque tenhem a vontade de que assim seja, pero a ineficiência nom lhes permite faze-lo realidade, e digo-lhes ineficiente com respeito e carinho, porque prefiro pensar que som ineficientes a que a vostedes nom lhes importe, nem um centímetro da sua vida, a dignidade das privadas de liberdade, e menos quero pensar, que para o estado é mais económico ter pessoas encirradas e fazer escolas de "delinquência" que re-insertar, menos quero crêr que é mais económico ter presas que umha sociedade justa e equilibrada, pero quero sublinhar que quando a vontade nom existe, quando nom se quere sanar a dignidade do ser humano, e que depende da energia e o esforço ético de poucos, e que neste caso está em vostedes e nos carregos que lideram, se vostedes que vem dia a dia a indignidade dos cárceres e nom o admitem, vostedes que sabem que se tortura, e que se violam os direitos humanos nos cárceres, que vem aos homes e mulheres revolcar-se na lama de desfeitos humanos, e se vostedes sabem e os seus esforços som nulos, e a realidade é que cada dia a situaçom dos cárceres empiora, é porque a verdade é que os únicos que perderom a sua dignidade som vostedes e os lideres que nos governarom e governam, e cada umha das pessoas que nom se enfronta a vostedes com a verdade e admite a realidade inhumana que se vive hoje.

As minhas disculpas e vostedes se perguntarám quem me crio para dizer todas estas palavras, e podo dizer-lhes que nom som naide e que essa liberdade da-me valor, e que se o meu silêncio existira e a minha quietude me dominara, estaria deixándo-me domesticar por falácias e convertindo-me num privado de liberdade do vosso sistema.

A cada um de vostedes as minhas disculpas e às estimadas agrupaçons que pelejam a diário pola dignidade e a justiza, as minhas disculpas pola minha falha de diplomácia, pero prefiro perder a diplomácia e quizás soar insultante, que mirar-lhes à cara como um falso mais deste mundo hipócrita, sem dizer-lhes a verdade de fronte, e menos podo suportar ver aos meus irmaos na inmundícia esperando polo meu esforço, entanto eu fico em silêncio para manter relaçons deshonestas com vostedes, só por manter um diálogo e nom ver acçons.

Francisco Tapia (Papas Frita)



Além num seu Terceiro Comunicado dirigem-se à imprensa nacional e internacional para pedir que informemos do que lá está a suceder, que nom agurademos a umha nova matanza para amosar as condiçons das prisions chilenas, senom que informemos constantemente do que se passa dentro das prisions e o mau trato diário e vejamens que recebem os seus familiares semana a semana.

Informaçom recabada de resistencia-audiovisual.blogspot
e metiendoruido

Mais informaçom, fotos e vídeos nesses mesmos sites

No hay comentarios:

Publicar un comentario