30 dic. 2013

A Igreja de Muxia arde fulminada por um raio no dia do natal cristiá. Foi umha sinal divina?

Oportuno é agora recordar que a única igreja que ilumina é a que arde.

Segundo informaçons dum falsimedio o bispado de Compostela (proprietária do edíficio) incumprira um acordo com o governo no que se comprometera em gastar 60.000 euros para renovar o sistema eléctrico do mosteiro agora queimado. Desconhecemos, na altura, se o trabalho de renovaçom figura entre as tarefas asignadas ao electricista da Catedral (quem se figera famoso por "roubar" o Códice Calixtino).

Além num artículo de DiarioLiberdade dam voz a um representante dos e das trabalhadores do Parque de Bombeiros de Cee que fala ao respeito da intervençom no incêndio dos serviços de bombeiros e que qualifica de catastrófico, de falha de medios por umha política de avaratamento de costes e dum grande caos e total descoordinaçom. Destacando que quando chegaram ao lugar do incidente atoparam-se com que Protecçom Civil de Muxía já se atopava trabalhando tentando sufocar o lume que já se desenrolava com grande virulência, pero que fora avivado pola inexperiência destes, quem abriram a totalidade das portas (algumha incluso fora curtada com motoserra) o que motivara um efecto tiro que osixenava a combustom facilitando a queima. Com tudo isto há quem se pergunta se estám certos de que o seu Deus nom queria que se queimara a igreja?

Com tudo, o coste da restauraçom estima-se entre 700.000 e 850.000 euros, que imos apoquinar entre todas, por obra e graça de Feijoo e compinches (incluidos o alcalde do PSOE e o ex-ministro Francisco Caamaño, oriundo da comarca, quem já forom a fazer-se a típica-tópica foto eleitoralista). “La Xunta asumirá el 100% del coste del proyecto constructivo de la rehabilitación”, sinalou Feijóo. O que suporá um coste já presupostado de 36.300 euros. O "nosso" presi nom quijo concretar quem assumirá o pago de toda a factura mas deixou bem claro que “no es algo que me preocupe”, e anunciou que este se restaurará “cueste lo que cueste” e para elo já aprovou-se umha declaraçom de emergência do governinho galego que implica que os trámites administrativos para adjudicar e emprender as obras se agilizarám o máximo que permite a lei para que estejam terminadas “con la mayor celeridad”.

Além, considero que com moi bo tino, já há quem está a tirar diferências no trato de Feijoo e os seus em quanto a lumes. E assim colamos esta foto da web "El Ojo del Vago" sobre a dupla vara de medir da Junta com respeito aos lumes desta igreja e do monte Pindo, ao meu entender moi acertada:


Asdo eDu

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada