27 ago. 2013

Hoje vou ser bo cidadá e vou ajudar a Feijóo para acabar com os lumes

Enterado polos medios oficiais de que o nosso presi Feijóo fijo um chamado à cidadania para reduzir no possível as negligências e para que colabouremos na deteçom dos autores, mesmo pontoalizando "Y ésta es una petición formal", eu, que pelo do comum, nom som dado a tais colabouraçons, vou-lhe facilitar a tarefa de busqueda de possiveis culpaveis.

Assim estava bem que começara a busca-los moi perto dos seus narices como nas avessas declaraçons do ministro de Agricultura, Alimentaçom e Meio Ambiente, Miguel Arias Cañete, (aquel que quando o afundamento do prestige e ocupando a mesma carteira ministerial digera aquelas palavras "tam ingeniosas": «Afortunadamente, la rápida intervención de las autoridades españolas alejando el barco de las costas hace que no temamos una catástrofe ecológica, como ha sucedido en otras ocasiones, ni prevemos grandes problemas en las aguas españolas ni para los recursos pesqueros») e que agora vem de falar dumha possível nova Lei de Montes a nivel estatal onde estudia permitir obras de "interés geral" em solo queimado antes de que se cumpram os 30 anos sem uso que contempla a atual lei que, como aclaram alguns ecologistas: “isto abre as portas para requalificar terrenos forestais e pegar pelotaços imobiliarios com políticos mafiosos". Se bem, claro está nom vam a ir por ai os tiros, ainda que, "curiosamente", a maioria dos grandes lumes deste vrâo na península ibérica e ilhas forom em terrenos de espaços naturais protegidos (curiosa cioincidência).

Também o convido a vissitar algumha página web onde dam algumhas chaves para elo, como a de Amigos da Terra onde manifestam o seu pesar polo desmantelamento dos Serviços Forestais Públicos que, segundo estes ecologistas, leva consigo umha maior desprotecçom e um muito maior risco para os ecosistemas forestais da Galiza e para os próprios trabalhadores e trabalhadoras forestais e onde fam umha crítica bem contrastada e argumentada em base ao foque da Junta sobre os planos anti-incêndios que se centram exclusivamente na sua extinçom e abandoando totalmente a imprescindível prevençom de "Evitar que o lume se produza para nom ter que apaga-lo" e que convido também as leitoras deste blogue a le-lo à ìntegra.

Mesmo poderia escuitar as denúncias de Apropiga (Asociaçom que agrupa os profesionais do Serviço Público de Prevençom e Extinçom Contra os Incêndios Forestais) que vém de amosar o seu "malestar" pola "falha de honestidade que observamos desde a Conselheria nas súas manifestaçons sobre a valoraçom do dispositivo despregado este vrão" e critica especialmente a recuperaçom das brigadas municipais, que consideram "ineficaces" e nas que "ocúltase umha verdadeira promoçom de pessoas por intereses familiares e políticos" e outras críticas.

Além, estes profesionais da extinçom afirmam estar "fartos" de "receber os parabéns e o ánimo hipócrita do presidente da Junta e da conselheira, quando som eles quem os precarizam e ignoram".

De momento, espero que lhe serva ao nosso presi, pero se alguém quere dar mais ideias, para isso estám os comentários, assim que animade-vos, que de seguro que lhes chegarám as nossas ideias colabouraçonistas.

E, se nom lhe parece bem, eu animaria-lhe a voltar a colher a mangueira (que nom o mangue)

eDu


1 comentario:

  1. Aproveito para incluir ao final da notícia este desenho de Dávila que também pode ajudar a Feijoo.

    ResponderEliminar